Trinta e três mil alunos terão aulas virtuais a partir de segunda

0

Cerca de 33 mil alunos da rede municipal de Salvador começam, na próxima segunda-feira (18), a ter aulas virtuais diárias durante o período de quarentena em razão da pandemia do coronavírus. Voltada aos estudantes matriculados no Ensino Fundamental II e na Educação de Jovens e Adultos (EJA) II, a iniciativa acontecerá gratuitamente através de um termo de cooperação com a Escola Mais – unidade de ensino de São Paulo que é referência em ensino digital para Fundamental II e Médio. As inscrições estão abertas e devem ser feitas no site www. escolamais. com/ salvador.

Os detalhes do Escola Mais Digital foram apresentados pelo prefeito ACM Neto e pelo titular da Secretaria Municipal da Educação (Smed), Bruno Barral, em coletiva virtual ocorrida nesta sexta-feira (15). A intenção é de que as aulas virtuais sirvam como atividades educacionais complementares, ou seja, sem avaliação, nesse período de isolamento social e sem previsão do retorno à normalidade na vida estudantil.

“Reconhecemos que as condições dos alunos da rede pública são muito diferentes da rede privada. Os alunos de escolas particulares possuem acesso fácil à internet, seja a de casa e até mesmo através de celular próprio. Já boa parte dos alunos da rede pública não tem acesso à internet, então ficaria difícil fazer avaliação através de educação à distância. No entanto, não poderíamos ficar de braços cruzados nesse período de 60 dias parados. Por isso, diante de um quadro de incertezas, está sendo feito esse trabalho de educação à distância com os alunos do Ensino Fundamental II, que já estão em um nível mais avançado de aprendizado”, salientou ACM Neto.

Sendo assim, para abarcar também os demais alunos, principalmente os que não possuem acesso à rede mundial de computadores, está sendo feita a negociação com um canal de TV aberta para exibição de aulas e também com uma operadora de celular para disponibilização de chips com pacotes de dados para estudantes. No caso das videoaulas, a produção do conteúdo já está desenhada e a estimativa é de que comecem na primeira semana de junho. Neste caso, é possível que o conteúdo veiculado seja considerado como avaliação no calendário pedagógico.

Funcionamento – O secretário Bruno Barral explicou que as aulas virtuais acontecerão de segunda a sexta-feira nos turnos matutino e vespertino, ou noturno para os alunos da EJA. “De manhã, serão quatro horas e vinte minutos de aula, das 8h às 12h20, com os professores da Escola Mais. À tarde, ou à noite, no caso da EJA, haverá atividades com os professores da rede municipal, que estão recebendo capacitação para o uso da plataforma. Esse momento será destinado à realização de roteiros de estudos, revisão e esclarecimento de dúvidas, bem como para o atendimento individual dos alunos”, relatou.

Ministradas via plataforma Canvas, que utiliza os servidores da Amazon e possui mais de 30 milhões de usuários no mundo, as aulas abordarão todos os conteúdos previstos para cada ano de escolarização dos segmentos atendidos pela iniciativa. Todo o material é alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e os professores farão a relação entre o conteúdo das aulas virtuais e o adotado pelo Nossa Rede, desenvolvido pela rede municipal de ensino. Todos os gestores, professores e coordenadores pegagógicos diretamente envolvidos passaram por formação específica para utilização da plataforma. Os alunos receberão um login e senha e poderão participar das aulas por computador ou celular (IOS e Android).

Crédito: Max Haack/Secom