Fase um da retomada prevê a reabertura de shoppings e grandes lojas

0

Em mais uma ação conjunta em meio à pandemia, a Prefeitura e o governo do Estado anunciaram hoje (7), em coletiva virtual, a definição dos protocolos e critérios de reabertura das atividades econômicas, religiosas e culturais da cidade. A iniciativa é fruto de mais de uma semana de conversas entre os técnicos municipais e estaduais, que tiveram como objetivo construir uma estratégica única focada na economia da capital na crise sanitária. Comandaram a coletiva o prefeito ACM Neto e o governador Rui Costa.

A retomada das atividades continuará sendo de forma gradual, seguindo diretrizes e obedecendo a critérios técnicos e científicos, pautados por indicadores epidemiológicos, bem como a observação das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e o diálogo com os diversos setores contemplados, inclusive trabalhadores e empresários, por meio dos sindicatos. E mais: os reflexos das medidas serão monitoradas para permitir reações rápidas por parte do poder público. A prioridade continua a ser salvar vidas, e é necessário que a sociedade permaneça mobilizada contra a Covid-19.

A reabertura, que se dará em ciclos de 14 dias a partir da análise dos dados da evolução da doença, tem como pilar central e está diretamente vinculada à taxa de ocupação dos leitos de UTI para pacientes com a Covid-19 na cidade. Na fase um, esse índice tem que ser inferior a 75%; na dois, abaixo dos 70%; e na três, menor do que 60%. Nas três fases, os respectivos percentuais precisam permanecer no patamar indicado por pelo menos cinco dias para o início da retomada em cada ciclo. Ontem (06), a taxa de ocupação estava em 79,5%.

Curva estabilizada – “A Prefeitura e o governo do Estado ampliaram, juntos, em mais de 300% a quantidade de leitos de UTI exclusivos para pacientes com a Covid-19. Graças a isso, e às medidas de isolamento que envolveram o fechamento de atividades, conseguimos evitar o colapso no sistema de saúde e estamos com índices melhores do que o Brasil como um todo e a maioria das outras capitais. Mas a curva está estabilizada ainda num índice muito elevado, de quase 80% de ocupação das UTIs, e temos que continuar enfrentando isso para reduzir o percentual. Um das ações será a abertura de novas vagas em hospitais e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento)”, afirmou o prefeito ACM Neto.

“O número (ocupação de leitos de UTI), apesar de ter se estabilizado, continua muito alto. Por isso, não podemos nos desmobilizar, e contamos com o apoio e compreensão da sociedade. Outro desafio hoje é reduzir o número de óbitos por conta da doença, que, apesar de ser baixo em relação a outros estados, continua alto, até porque cada vida importa. Por isso, estamos intensificando a comunicação para que nossas equipes de saúde atuem com ainda mais força e orientando a população para que procurem atendimento o mais rápido possível”, acrescentou Rui Costa.

Hoje, a capital baiana, que tem taxas de crescimento e de mortalidade do novo coronavírus menores do que a média nacional e a maioria das outras capitais (algumas delas chegaram mesmo a ter o sistema de saúde em colapso), conta com 1.361 leitos exclusivos para tratar pacientes com a Covid-10, sendo 735 de UTI (498 ocupados até ontem) e 625 clínicos (497 preenchidos até o mesmo dia). Durante a coletiva, o prefeito e o governador anunciaram a criação de mais 75 leitos nos próximos dias, o que deverá permitir, ainda em meados de julho, a retomada das atividades incluídas na fase um.

Crédito: Divulgação/Secom