Prospecção arqueológica tem início na avenida Sete

0
Prospecção Arqueológica na Av. Sete_Foto_Jefferson Peixoto_Secom_Pms

O trabalho de prospecção arqueológica na Avenida Sete de Setembro, no Centro de Salvador, teve início nesta sexta-feira (8). Antes da execução das obras de revitalização, técnicos espalhados no trecho entre a Casa da Itália (Campo Grande) e as Mercês fazem as escavações. As ações têm o intuito de localizar elementos que poderão contribuir para a produção de novos conhecimentos históricos sobre a cidade. Nesse trecho o trabalho deverá ser concluído em março. Por conta das escavações, agentes da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) orientam pedestres e motoristas a redobrarem a atenção ao passarem pela via.

A ação faz parte das obras de requalificação da Avenida Sete, promovidas pela Prefeitura, com projeto elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) e o Consórcio Nova Avenida Sete responsável pelas obras de prospecção, tendo como norte o plano apresentado ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). No local, dois arqueólogos e dois técnicos trabalham na abertura dos pontos de sondagem, que têm espessura, largura e profundidade de 1m. As escavações são realizadas sempre na parte lateral esquerda da avenida, sentido Centro Histórico. O serviço é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

O arqueólogo e coordenador da pesquisa, Cláudio César Souza e Silva, explica que, antes de abrir os pontos, é retirada a capa asfáltica para encontrar o antigo calçamento: uma faixa em paralelepípedo. “Abrimos os primeiros pontos e embaixo do paralelepípedo está a linha do bonde que existia nessa região no final do século XIX e início do XX. O calçamento de pedra serve como um marco para gente. O que está abaixo dessa camada já nos serve como informações”, revela. Segundo o especialista, essa prospecção é fundamental para levantar dados sobre o crescimento da cidade. “A partir desses resultados podemos pesquisar e estudar essas áreas mais profundamente”, frisa.

Antes do trabalho de campo, foi realizado um estudo conhecido como diagnóstico histórico que identificou os locais para as escavações. “Passamos dias estudando, antes de partir para prática. Era preciso conhecer mais sobre a região antes de escavar”, complementa.

De acordo com o cronograma de atividades, as prospecções no segundo trecho, entre as Mercês e o São Bento, devem ter início em março. Na sequência, o trabalho será finalizado no terceiro e último trecho que vai do São Bento à Praça Castro Alves. A previsão é que o trabalho seja concluído no mês de maio. Finalizada a etapa de escavações, as intervenções e melhorias começam a ser executadas.

Trânsito – Os pontos de sondagem são escavados na lateral esquerda da Avenida Sete de Setembro, não comprometendo a fluidez do trânsito. O local de atuação dos técnicos está isolado por placas indicativas, cones e marcações de trânsito. De acordo com a Gerência de Trânsito da Transalvador, agentes tem reforçado as atividades no local, com intuito de orientar os pedestres e garantir a passagem de veículos pela via sem grandes transtornos. No período das obras, a mobilidade não ficará comprometida. Com isso, a intenção é garantir que a requalificação possa acontecer, de forma mais tranquila possível, em uma das avenidas que abrigam o maior comércio de rua de Salvador.

Revitalização – O trecho contemplado pela requalificação da Avenida Sete de Setembro começa nas imediações da Casa D´Itália e segue até a Praça Castro Alves (cerca de 1,2 km). A previsão é que as obras da Prefeitura, com investimento de R$17,5 milhões, durem 14 meses. Os recursos são provenientes de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), através do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult).

As intervenções vão possibilitar a valorização do comércio e dos imóveis da região. O projeto prevê a revitalização e ampliação de calçadas em pedra portuguesa, preservando as características históricas originais, inclusive os brasões; troca do asfalto; e delimitação de vagas de estacionamento. Também estão inclusas na lista de melhorias a iluminação em LED; implantação de fiação subterrânea; criação de áreas de convivência; drenagem; arborização; adaptação de piso tátil e instalação de rampas para acessibilidade.

 

Crédito: Jefferson Peixoto/Secom